Mosteiro Budista Tibetano Sakya Tsarpa Thupten Dekyid Öedbar Ling

Biografias dos Grandes Lamas Sakyapas


Sua Eminência Chogye
Trichen Rinpoche (1920-2007)

S.E. Chogye Trichen Rinpoche, Ngawang Khyenrab Thupten Lekshe Gyatso, foi o chefe do ramo Tsarpa da tradição Sakya do budismo tibetano. Como o lama sakyapa mais sênior dos últimos anos, Rinpoche foi um mestre tântrico renomado, um praticante dedicado, um erudito proeminente e um poeta eloqüente. Rinpoche corporificava a sabedoria, o espírito e as atividades do Dharma sagrado.

Rinpoche foi um mestre dos mestres, pois a maioria dos detentores de linhagem do budismo tibetano foram seus discípulos. Entre estes discípulos estão S.S. o Dalai Lama e S.S. Sakya Trizin. Talvez possamos começar a compreender a grandeza do Rinpoche através das palavras de S.S. Sakya Trizin, que descreve as grandes realizações do Rinpoche do seguinte modo:

Existem muitos que alcançaram a sabedoria a partir do estudo das escrituras. Há alguns que atingiram a sabedoria a partir da contemplação do Dharma. Há poucos que ganharam a sabedoria a partir da meditação.

Sua Eminência Chogye Trichen Rinpoche alcançou todas as três sabedorias. Devemos nos considerar afortunados apenas por encontrá-lo o que é por si só uma grande benção.

Além da estatura do Rinpoche entre os lamas tibetanos, o rei Birendra do Nepal concedeu a Rinpoche o Gorkha Dakshin Babu, um tributo que até então nunca tinha sido concedido no Nepal a um monge budista.


Breve história

Rinpoche nasceu em 1920 na abençoada família Zhalu Kushang do clã Che, uma linhagem descendente dos deuses da clara luz. Muitos sinais auspiciosos e maravilhosos acompanharam o nascimento do Rinpoche. Rinpoche foi o 26º patriarca do Mosteiro P'henpo Nalendra ao norte de Lhasa. Fundado por Rongtön Sheja Künrig (1367-1449), Nalendra é um dos Mosteiros Sakya mais importantes do Tibet. De forma esplendorosa, cada geração da família Kushang não produziu menos do que quatro filhos, a maioria dos quais serviu como detentores do trono de muitos Mosteiros importantes incluindo Nalendra, Zhalu e Ngor. O nome Kushang significa "tio materno real" e deriva do fato que muitas das mulheres da família foram casadas com vários detentores do trono Sakya, um dos quais, Drogön Chagna, que foi supremo mandatário do Tibet, secedeu Chögyal P'hakpa. Aos doze anos, Rinpoche foi oficialmente entronizado no Mosteiro P'henpo Nalendra.

Da sua entronização até os 39 anos, Rinpoche permaneceu no Mosteiro P'henpo Nalendra onde dominou os rituais escriturais monásticos, os rituais de Mandala e o acompanhamento musical dos rituais. Rinpoche completou retiros de meditação de todas as principais deidades e todos os quatro tantras. Os dois gurus raiz do Rinpoche são Zimog Rinpoche Künga Tenzin e Dampa Rinpoche Shenp'hen Nyingpo do Mosteiro Ngor. Deles, Rinpoche recebeu as autorizações e as instruções do Lamdre, além de outras incontáveis autorizações, transmissões, instruções centrais, e tradições ritualísticas de todas as quatro classes do tantra. Rinpoche completou estudos extensivos em todos os campos principais de aprendizado ministrados nos ensinamentos do Buddha. Rinpoche é um mestre nos ensinamentos Sutrayana e Mantrayana. Rinpoche também é um grande erudito em literatura, poesia, história e metafísica budista e um poeta altamente realizado.

Em 1959, devido às mudanças nas circunstâncias no Tibet após a invasão chinesa, Rinpoche saiu de Tibet e foi para Mustang, onde sua irmã era casada com o rajá de Mustang, o rei de Mustang. Durante vários anos desde 1962, de acordo com o desejo de S.S. o Dalai Lama, Rinpoche exerceu o cargo de Secretário Geral do Conselho para Assuntos Religiosos e Culturais do governo tibetano no exílio em Dharamsala, Índia. Rinpoche teve também um papel preponderante na preparação do manuscrito do livro de S.S. o Dalai Lama Minha Terra e Meu Povo e foi responsável por escrever livros texto tibetanos para as escolas estabelecidas para os tibetanos centrais.

Em 1969, Rinpoche se licenciou do governo tibetano e retornou ao Nepal para reconstruir o Mosteiro Nalendra e assumir o trono da escola Tsarpa no exílio. Rinpoche fundou dois Mosteiros no Nepal, o Mosteiro Tashi Rabten Ling em Lumbini, local de nascimento do Buddha, e o Mosteiro Jamchen Lhakhang em Katmandu. Em Lumbini, Rinpoche estabeleceu o primeiro centro de retiro de três anos e meio, Lamdre Lobshe, que inspirou a fundação de outros centros de retiro de meditação ou Gomdra. Um local menor para retiros foi estabelecido também pelo Rinpoche em Bagdora, um local sagrado atribuído a Krakucchanda, um do Buddhas de eras anteriores. Rinpoche fundou também um centro do retiro Tsarpa em Lo Gekar em Mustang.

Fora de Nepal, Rinpoche estabeleceu centros em Hong Kong e em Taiwan. O nome do centro em Hong Kong é uma homenagem a Tara Verde. Com os sinceros convites de seus discípulos, Rinpoche viajou para esses centros para dar ensinamentos e iniciações. Rinpoche também foi o chefe de dez centros na Austrália e na Nova Zelândia fundados por seu discípulo, Lama Choedak. Como dois dos centros principais na Austrália são nomeados em homenagem a Rongtön e Tsharchen, Rinpoche considerava-os como os futuros pilares da manutenção dos seus ensinamentos e práticas. Em reconhecimento a estes desenvolvimentos, Rinpoche fez duas visitas importantes à Austrália em 1996 e em 2001.


O nome Chogye Trichen

Acredita-se que o nome Chogye deriva da data de aniversário de Khyenrab Chöje, um membro da família Kushang, e de um tributo oferecido pelo então imperador chinês ao seu sobrinho. Khyenrab Chöje era um professor que detinha a linhagem direta de Kalachakra recebida de Vajrayogini e foi convidado pelo Sakya Trizin Dagchen Lodrö Gyaltsen para ser o 8º abade do Mosteiro P'henpo Nalendra.

Durante sua época, Kyenrab Chöje causou forte impressão ao imperador da China. Embora Khyenrab Chöje fosse incapaz de visitar a China, seu sobrinho Jamyang Donyö Gyalsten visitou esse país e se tornou o preceptor espiritual do imperador. Inspirado pelas qualidades de Jamyang Donyö Gyalsten, o imperador o presenteou com dezoito tributos preciosos como elogio às qualidades que reconheceu neste mestre. Decorre daí o nome Chogye que significa "dezoito" em tibetano. É a partir de Kyenrab Chöje que começou a linhagem dos Chogye Trichens, todos os quais vieram da família do Rinpoche. O título Trichen significa "detentor do trono" e se refere àquele que detém o trono e o título Chogye Trichen.


Praticante fiel

Diz-se freqüentemente que o Rinpoche mantinha o estilo de um yogi recluso, uma vez que participou de diversos retiros de meditação de três anos. Fora destes retiros, Rinpoche passou a maior parte do tempo em meditação profunda e na prática de rituais tântricos e orações, desde as primeiras horas do alvorecer até muitas horas após a meia-noite.

Rinpoche era considerado como a manifestação moderna dos santos e praticantes budistas indianos do passado, tais como o Mahasiddha Virupa. Rinpoche continuou esta prática muito admirável a cada dia. Isto por si só já era uma inspiração para todos os praticantes.


Girando as rodas do Dharma

Rinpoche deu continuamente iniciações, transmissões, permissões, ensinamentos e instruções sobre os ensinamentos de Buddha. Aqueles que tiveram a fortuna de ter uma audiência com Rinpoche sem dúvida concordarão que ele também foi um entusiástico contador de estórias. Cada iniciação ou autorização dada pelo Rinpoche era quase sempre acompanhada por estórias preciosas sobre os Bodhisattvas ou mestres específicos da linhagem, da mesma forma que por estórias que ilustram a importância da Bodhichitta e de outros inestimáveis ensinamentos do Buddha, como o Prajnaparamita. Rinpoche foi o detentor da linhagem dos ensinamentos esotéricos incomuns altamente valiosos da prática de linhagem da escola Tsarpa, como Vajrayogini e Lamdre Lobshe, da tradição incomum de Hevajra para os discípulos próximos.

Foi através da bondade do Rinpoche que seus discípulos realizaram os ensinamentos do Buddha. Desde o seu tempo no Tibet até hoje, Rinpoche continuou a disseminar o Dharma sagrado e fazer com que este floresça nas mentes de todos que têm fé no budismo. Sua atividade é evidência de seus esforços contínuos e altruísticos de ensinar o Dharma sagrado. Rinpoche permaneceu firmemente comprometido com sua missão de difundir os ensinamentos de Buddha para o benefício de todos os seres sencientes onde quer que estejam, apesar dos ensinamentos longos, especialmente aqueles conduzidos em outros países, inevitavelmente produzirem fatiga e forte tensão ao seu corpo físico.


S.S. o Dalai Lama recebendo iniciações de S.E. Chogye Trichen Rinpoche

Como exemplos de sua atividade, Rinpoche concedeu iniciações, transmissões, instruções e comentários maiores e menores com instruções centrais orais. Rinpoche ofereceu ainda os ensinamentos profundos e incomuns da tradição Sakya, particularmente o Lamdre Lobshe incomum de acordo com a tradição Tsarpa, para S.S. Sakya Trizin e S.S. o Dalai Lama. Além disso, Rinpoche ofereceu também suas principais linhagens à S.S. Sakya Trizin, tais como a Coleção de Tantras (Gyüde Küntü) e as permissões e transmissão das instruções centrais. Muitos outros Rinpoches, monges e discípulos leigos de todo mundo também foram bastante afortunados para receber ensinamentos, iniciações e autorizações do Rinpoche.

O compromisso do Rinpoche em divulgar o Dharma sagrado não tinha limite geográfico e era verdadeiramente global. Isto é evidente pelas numerosas viagens do Rinpoche para outros países com o intuito de dar ensinamentos, iniciações e autorizações a seus discípulos. Por exemplo, em 1988, Rinpoche viajou para os EUA e Canadá. Em 1994, Rinpoche ensinou no Japão e em 1996, Rinpoche visitou a Austrália. Em 1998, Rinpoche visitou a Singapura, Malásia, Hong Kong e Austrália para dar muitas iniciações e ensinamentos. No mesmo ano, Rinpoche concedeu a iniciação de Kalachakra e outros ensinamentos em Taiwan para uma assembléia de 6.000 discípulos. No ano 2000, Rinpoche visitou a França onde concedeu a Coleção de Sadhanas. No mesmo ano, a pedido dos centros Sakya na Espanha, Rinpoche visitou este país onde deu a iniciação de Kalachakra e palestras públicas em Barcelona sobre a paz no mundo de acordo com o Kalachakra Tantra.

Mais recentemente, Rinpoche completou uma viagem de dois meses para Hong Kong, Taiwan, Canberra, Sydney, Melbourne, Adelaide, Brisbane, Nova Zelândia, Singapura e Kuching na Malásia, onde conferiu a seus discípulos preciosos ensinamentos e iniciações de muitos Buddhas e Bodhisattvas importantes. Na Austrália, durante sua recente viagem, Rinpoche acrescentou um novo capítulo à história do budismo neste país ordenando doze monges e monjas australianos, da mesma maneira que Shantarakshita fez no século VII no Tibet quando ordenou sete tibetanos. O efeito propagador da visita do Rinpoche a Austrália será sentido ainda por muitas centenas de anos.


Veja também


Home | Quem Somos | Sakya | Biografias | Ensinamentos | IBA | Lamas | Atividades | Endereços

Rodovia Vereador José de Moraes, Km 6 - Sítio São Roque - Centro - Cabreúva - SP - Cx.Postal 41
CEP.: 13315-970 - Telefone: (11) 4528-1737 - E-mail: sakya@sakyabrasil.org